Brasão

Senado Federal

Secretaria-Geral da Mesa

Secretaria de Informação Legislativa



DECRETO N. 272 - DE 18 DE MARÇO DE 1890

Dá nova organização ao Batalhão Naval.

O Marechal Manoel Deodoro da Fonseca, Chefe do Governo Provisorio da Republica dos Estados Unidos do Brazil, constituido pelo Exercito e Armada, em nome da Nação, considerando a necessidade de dar-se nova organização ao Batalhão Naval, de harmonia com a adoptada nos corpos do Exercito, sem comtudo alterar os fins de sua creação, segundo o art. 3º do regulamento que baixou com o decreto n. 1067 A, de 24 de novembro de 1852,

decreta:

Art. 1º O Batalhão Naval compor-se-ha do estado-maior e menor e de quatro companhias de infantaria, de accôrdo com o art. 6º do decreto n, 10.015 de 18 de agosto de 1888; bem assim das duas companhias de artilharia cremadas pelo regulamento do mesmo batalhão, tudo de conformidade com o mappa que a este acompanha.

Art. 2º A' vista da elevação do numero de praças a mil, pelo decreto n. 74 B de 20 de dezembro de 1889, dever-se-ha na formação das companhias ter por base o maximo do pessoal exigido para cada batalhão.

Art. 3º Só ficarão constituídas as companhias de artilharia quando o Batalhão Naval dispuzer de mais de 750 praças.

Art. 4º A disciplina e serviço interno do quartel reger-se-hão pelo regulamento approvado por decreto n. 6373 de 15 de novembro do 1876 e a instrucção geral do batalhão pelas ordenanças que se acham estabelecidas para os corpos do Exercito, continuando em vigor todas as disposições ora existentes que não contrariem ao que fica decretado;

O Vice-Almirante Eduardo Wandenkolk, Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Marinha, assim o faça executar.

Sala das sessões do Governo Provisorio, 18 de março de 1890, 2º da Republica.

manoel deodoro da fonseca.

Eduardo Wandenkolk.

Mappa a que se refere e decreto 272 da presente data, dando nova organização ao Batalhão Naval

COMPANHIAS DE INFANTARIA

 

 Capitão (1º tenente)

 Segundo tenente

 Guardas-marinha

 Primeiros sargentos

 Segundos sargentos

Cabos

Cornetas

Tambores

Soldados

Somma

 Esquadra................................

 ...................

 ............

 ...........

 ...........

 ...........

 1

 ......

 ......

 12

 13

Secção....................................

...................

............

...........

...........

1

2

......

......

24

27

Pelotão....................................

...................

............

...........

...........

2

4

1

1

48

56

Companhia..............................

1

1

2

1

5

12

3

3

144

172

4 companhias..........................

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 - Batalhão............................

4

4

8

4

20

48

12

12

576

688

ESTADO MAIOR

Commandante, capitão de mar e guerra ou de fragata

Major (capitão-tenente).

Ajudante (1º tenente).

Secretario (1º tenente).

Cirurgião

Officiaes de fazenda

Instructor de infantaria, official da armada ou do exercito

Official do Presidio (1º tenente)

Somma

 1

 1

 1

 1

 1

 3

 1

 1

 10

 

ESTADO MENOR

Sargento ajudante

Fiel

Escrevente

Armeiro

Corneta-mór

Mestre d' arams

Enfermeiro

Mestre da musica

Musicos

Carcereiro

Soldados- oprerarios

Cozinheiro

Somma

 1

 1

 1

 1

 1

 1

 1

 1

 30

 1

 10

 1

 50

 

COMPANHIAS DE ARTILHARIA

 

 Capitão (1º tenente)

Segundo tenente

Guardas-marinha

Primeiros sargentos

Segundos sargentos

Cabos

Cornetas

Tambores

Soldados

Somma

1ª companhia de artilharia (canhões de tiro rapido).......... 2ª dita idem(metralh. Nordenfelt. 25 m/m ...................

1   1

1   1

2   2

1   1

5   5

6   6

3   3

2   2

105   105

126   126

RESUMO

Infantaria......................

Estado-maior

10

 

 

Estado-menor

50

.............        748

 

4 companhias

688

 

 Artilharia.......................

 2 companhias

 

 252

Decreto n. 74 B de 20 de dezembro de 1889.....................................................................

 

1.000

Salas das sessões do Governo Provisorio, 18 de março de 1890. - Eduardo Wandenkolk.